Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Em Letras Pequeninas

Podem tirar a rapariga da farmácia, mas não podem tirar a farmácia da rapariga. Salvo seja…

Em Letras Pequeninas

Podem tirar a rapariga da farmácia, mas não podem tirar a farmácia da rapariga. Salvo seja…

14 de Março, 2022

Fazer Contas à Vida

Inês Reis

Já não cortava o cabelo desde agosto passado. Dezoito euros. Mas não substituí as calças de ganga com as bainhas encolhidas pelas constantes lavagens. Quinze.

Esta semana comprei dois pacotes de arroz em vez de um e mais uma lata de atum que de costume. Três e uns trocos. Mas, na próxima, salto a ida ao supermercado. Meio risco no depósito.

Só que as previsões mais sombrias auguram contas demasiado altas para pagar, prateleiras vazias e ordenados em atraso; e isso não é cenário que se evite, simplesmente, “deixando de jantar fora”.

Boa. À raiva e frustração pela impotência que sinto diariamente em frente ao televisor, acabei de acrescentar mais um nível de ansiedade.

No entretanto, vou remendando os buracos das meias de casaco vestido, para não ter de ligar o aquecedor.

12 comentários

Comentar post