Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Em Letras Pequeninas

Podem tirar a rapariga da farmácia, mas não podem tirar a farmácia da rapariga. Salvo seja…

Em Letras Pequeninas

Podem tirar a rapariga da farmácia, mas não podem tirar a farmácia da rapariga. Salvo seja…

28 de Janeiro, 2021

A Bela Acordada e as Sete Benzos

Inês Reis

515px-Nuström_Sleeping_Beauty.jpg

Era uma vez uma princesa que não conseguia pregar olho; não havia chá ou aplicação móvel que lhe valessem e, em todo o reino, não se encontrava uma única bruxa que comercializasse umas maçanzitas enfeitiçadas.

Completamente desesperada, a princesa decidiu desviar um calmante dos que a rainha toma quando o rei passa muito tempo no castelo, e não é que lá conseguiu dormir toda a noite.

Um feitiço de pouca dura; pois, agora, os comprimidos parecem fazer tanto efeito como um copo de água, mas, ainda assim, a princesa não passa sem o seu chuto diário.

O mago real lá vai prescrevendo uma dosagem mais alta sempre que pode, mas sabe perfeitamente que está apenas a alimentar um vício e que só um mago da mente a pode ajudar.

E enquanto a princesa espera por uma consulta de especialidade no Serviço Real de Saúde, lá vai tentando recriar aquela doce primeira noite de sono que os calmantes da mãe lhe proporcionaram e que os seus nunca conseguiram reproduzir.

Felizmente, não há príncipes a rondar a costa, já que a última coisa que ela precisa é de um beijo de um estranho com propriedades análogas à da cafeína.

Mas, se tudo correr bem, com a terapia certa e muita força de vontade, a princesa (tal como a maioria das pessoas) lá conseguirá viver moderadamente feliz para sempre.

Imagem: "The Sleeping Beauty" by Jenny Nyström - https://owl.museum-digital.de/singleimage.php?imagenr=8420, Public Domain, https://commons.wikimedia.org/w/index.php?curid=67593127

7 comentários

Comentar post