Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Em Letras Pequeninas

Podem tirar a rapariga da farmácia, mas não podem tirar a farmácia da rapariga. Salvo seja…

Em Letras Pequeninas

Podem tirar a rapariga da farmácia, mas não podem tirar a farmácia da rapariga. Salvo seja…

24 de Outubro, 2021

Educação Sexual

Inês Reis

660px-Balloons-aj.svg.png

No quarto episódio da terceira temporada de de Sex Education (série da Netflix), Anwar prepara-se para fazer um felácio ao seu namorado com um preservativo de sabor a morango que ele lhe dá para a mão – sexy! – mas, depois de alguns minutos, é alertado pelo parceiro que a sua cara está com um aspeto, assim, tipo  “Rocky Balboa” – palavras dele – e a sessão acaba ali mesmo.

E, certo, a mensagem principal desta cena será a de que algumas pessoas são alérgicas aos preservativos com sabor (ou até ao latex) – foi por isso eu deus inventou os preservativos sem latex, à venda na sua farmácia! – mas a mensagem subliminal, chamemos-lhe assim, é a de que sexo oral deve ser SEMPRE feito com preservativo. Porque as doenças sexualmente transmissíveis não escolhem orifício e ninguém quer ter Clamídia na garganta. (Demasiado gráfico? Desculpem lá qualquer coisinha…)

Portanto, vamos lá normalizar o sexo seguro na ficção e esperar que a realidade a acompanhe.

Imagem: By AJ - Open clip Art Library image's page, CC0, https://commons.wikimedia.org/w/index.php?curid=826862